Terrorismo interno

Terrorismo policial” parece ser a melhor descrição para as atitudes e acções de alguns agentes da PSP no passado dia 16 de Janeiro, contra uma vintena de cidadãos, na chamada Zona Pedonal de Almada.

É sempre complicado perceber estas histórias vistas de fora, quando não há muitas testemunhas nem provas, é uma questão de credibilidade dos envolvidos, o que torna difícil tomar partido. Contudo, conheço pelo menos uma das vítimas, e acredito na sua versão dos factos.

Testemunhos:

Peões agredidos e detidos pela polícia na Zona Pedonal de Almada
Quando a cidadania fica refém da intolerância
Mais um relato da violência policial na Zona Pedonal Almada

Galeria de fotos no site do movimento Almada Pedonal.

Alguma da repercussão na blogosfera:

Cultura de violência
Peões agredidos e detidos em Almada

Eco nos media:

Primeiro Jornal da SIC (19/01/2009) (min 02:16)
Manifestação contra circulação automóvel resulta em três feridos e duas detenções
Almada: Peões agredidos vão apresentar queixa contra PSP
Agredidos em manifestação vão apresentar queixa contra PSP
Peões agredidos em manifestação vão apresentar queixa contra a PSP

20 pessoas transformaram-se em 200. Uma celebração transformou-se numa manifestação & protesto. A circulação pedonal (trânsito de peões), transformou-se em “perturbação do trânsito” (motorizado e ilegal, presume-se). Um grupo de pessoas na rua que “se recusam a dispersar” sujeitam-se a levar porrada por isso.

Impressionante.

Posto isto, e na onda do apelo feito, fiz o mínimo que me é possível, escrevi um e-mail que enviei ao IGAI (c/ conhecimento da Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias), a pedir informações acerca dos procedimentos de inquérito em curso. E achei por bem divulgar esta questão aqui no blog.

Isto é terrorismo. Pior que o “outro”, porque mina a confiança nas pessoas e instituições encarregues de zelar pela ordem, pela liberdade e pela justiça no seu país.

Os agentes envolvidos deveriam ser expulsos e processados criminalmente. O facto de não se identificarem (por distintivo nem em resposta ao pedidos dos cidadãos) e de se preocuparem em apagar fotos e vídeos e destruir máquinas fotográficas/vídeo demonstra a má fé subjacente aos seus actos…

Esta entrada foi publicada em eventos, imprensa, mobilidade, política, sociedade com as tags , , , , , . ligação permanente.

5 Responses to Terrorismo interno

  1. Pingback: Celebração II - A Marcha do Caracol at b a n a n a l o g i c

  2. Maria diz:
    Mozilla Firefox 3.0.5 Windows Vista

    O meu filho perguntou-me há dias porque a polícia (PSP) está constantemente a agredir e a matar pessoas. Ele tem apenas 8 anos e viu o que algumas pessoas que trabalham na PSP fizeram na Amadora e em Almada. Tentei explicar-me o melhor pessoal. Acho que cedo compreendeu que falar em polícia e PSP não quer dizer “bons” nem “segurança” ou “tranquilidade”.

  3. Mozilla Firefox 3.0.5 Ubuntu Linux

    Não acho que devamos generalizar. Não seria justo. Há sempre ovelhas negras, e há sempre erros. Esperarei para saber como as instâncias superiores lidarão com o caso. Isso sim, definirá o nosso Estado/Governo/Polícia…

  4. Pingback: Rescaldo d’A Marcha do Caracol at b a n a n a l o g i c

  5. Pingback: Leis at b a n a n a l o g i c

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.