As ramificações do problema do pico do petróleo

À medida que o petróleo for escasseando, relativamente às solicitações, não é só o combustível que vai ficar mais caro, nem sequer tudo o que depende do transporte para chegar ao consumidor. TUDO fica mais caro. O petróleo é a matéria-prima para uma série de materiais que os objectos do nosso dia-a-dia incorporam.

Os pneus das bicicletas vão ficar 18 % mais caros já no próximo ano.

Mas tudo o que tenha plástico será afectado. Agora pensem em tudo aquilo que usamos todos os dias… Até a roupa (nylon e outras fibras) deriva do petróleo…

E ao mesmo tempo, com a corrida aos biocombustíveis (mais um problema do greenwashing de consciências) para continuar a alimentar os SUVs mas de uma forma “verde”, a comida também vai ficar mais cara, porque será mais rentável para os agricultores cultivarem as suas terras com espécies boas para transformar em biodiesel do que culturas para alimentação. Além da escassez de culturas para alimentação, pode haver escassez de determinadas culturas específicas também.

Vamos ter que escolher: ou temos combustível para pessoas ou temos para automóveis. Acho que a maior parte da população nem pensa nisto…

Ah, o problema não tem a ver apenas com o petróleo começar a escassear. É que além disso, as necessidades de petróleo como matéria prima para produtos ou combustível não pára de aumentar no Ocidente, e de repente a China começa a despertar e há milhões e milhões de chineses de classe média (and above) a almejar ter tudo aquilo a que nós por estes lados nos habituámos a ter facilmente. Como é óbvio, não vai dar para todos…

Dark times ahead…

Esta entrada foi publicada em ambiente, mobilidade com as tags , , , , , , . ligação permanente.

2 Responses to As ramificações do problema do pico do petróleo

  1. RedTuxer diz:
    Mozilla Firefox 2.0.0.6 Debian GNU/Linux

    Talvez este link vos interesse:
    http://www.gacetadigital.com/islandia-abandona-el-petroleo/

    Cumprimentos

  2. Mozilla Firefox 2.0.0.10 Ubuntu Linux

    São mais espertos que nós. 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.