About the web, and me on it

É brutal o poder e a beleza da internet. Nunca deixo de me espantar com as coisas que ela permite concretizar. 🙂

Há pessoas, empresas, organizações e o que mais seja que simplemente não existem na web. Não aparecem referidas, não possuem nada delas online, muitas nem participam nela ou a usam. É como se não existissem. No caso de uso pessoal a perda será individual, apenas da pessoa que não usufrui das ferramentas, dos meios e dos fins que a web oferece. Mas no caso de empresas, Estado, e organizações já há perdas. Para mim uma empresa ou um produto que eu não encontro na web não existe. Simplesmente. Se quero comprar algo vou à net procurar info e fazer prospecção de mercado. Se uma empresa que venda o produto que procuro não aparece online não chega a fazer parte do meu leque de opções de compra. Se tiver um site feio ou não-funcional, ou simplesmente pobre em conteúdo, desactualizado, etc, a imagem com que eu fico da empresa é a imagem que o site me transmitiu…

Uma empresa pode facilmente viver sem site na web, mas é como não ter info nas Páginas Amarelas ou não ter uma tabuleta na porta. You can do it, but why would you?

Quando começamos a participar na vida online criamos um rasto. Se participamos em fóruns de discussão, se subscrevemos mailing-lists, se comentamos os blogs de outras pessoas, se temos contas em sites de alojamento de fotos, videos e afins, se mantemos sites pessoais ou blogs… a nossa identidade começa a aparecer por aí. Quer as coisas recentes como as antigas, informação pessoal indevidamente divulgada (por terceiros ou pela nossa ingenuidade ou descuido), como endereços de e-mail, dados pessoais como a morada,…

Se eu procurar por “anabananasplit” no Google, em “web”, aparecem cerca de 876 resultados. Às vezes encontro referências a fotos ou posts nos meus blogs noutros sites e acho lindo. Alguém que eu não conheço nem me conhece achou utilidade ou interesse em algo que eu criei ou documentei. 🙂 Em “imagens” aparecem 79 resultados, todos do Flickr, embora eu tenha muito mais fotos que isso lá.

A minha conta no Flickr (até agora) tem disponíveis 1 002 fotos, sob uma licença Creative Commons. Neste momento tem registadas 3 294 views.

O meu primeiro blog teve, até este momento, 10 252 page views. O primeiro post foi no dia 3 de Setembro de 2005 e o último no dia 26 de Março de 2006, cerca de 6 meses de blogging. Não sei quantos posts foram publicados mas sei que foram bastantes. 🙂

O meu segundo blog teve, até este preciso momento, 14 416 views. O primeiro post foi no dia 10 de Março de 2006 e o último no dia 22 deste mês, cerca de 6 meses de blogging. Este blog teve 242 posts, 2 páginas, e 130 comentários, contidos em 35 categorias. A categoria com mais posts é a de “mobilidade”, com 50. Até agora o Akismet protegeu-me de 83 comentários de spam. À custa do post da Lisboa Bike Tour tive 404 views num só dia, o máximo de sempre, e este post foi o mais popular, com 801 views desde 31 de Agosto. Nos últimos tempos andava com 100 a 200 views por dia, e de 5 até um máximo de 21 feed readers diários (mas esta ferramente, ainda beta, não me parece muito fiável…). No Technorati, este blog aparece como tendo 74 links de 8 blogs (1 deles é o azulebanana.com), e na posição 377 069 do rank (whatever that means). Nem vos passa pela cabeça as coisas que as pessoas pesquisam e que vão dar ao meu blog…

Às vezes descubro por acaso que alguém pôs o meu blog no seu blogroll. É engraçado e recompensador. 🙂

No fórum de discussão em que mais participo, o da escola, tenho 197 mensagens, desde 23 de Março de 2005. Todos os posts no fórum antigo não são contabilizados, senão dariam um número ainda mais assustador… I should get a life. 😛

A web é uma coisa espectacular, uma ferramenta e um recurso de valor inestimável. Deve ser a melhor invenção a seguir à roda. 😉 Bom, e ao PC, necessariamente, lol! 😛

Esta entrada foi publicada em sociedade com as tags , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.