Be afraid, be very afraid.

Estou nervosa. Muito ansiosa. Esta semana tem sido – e vai ser até ao fim – uma taquicardia permanente. Eu explico…

Hoje tivémos (ou era suposto termos tido) uma sessão de julgamento de um caso de há 4 anos atrás, em que um maluco qualquer nos abalroou propositadamente, na 2ª Circular/IC19. Foi a primeira vez que fomos a um Tribunal e que iríamos testemunhar num julgamento – estávamos nervosos com aquilo, claro… A combinar com o comportamento do “arguido” ao longo do tempo, ele faltou, assim como a advogada e um outro tipo, que supomos ser o dono do carro. Baldaram-se. Enfim, prá semana lá vamos perder mais uma manhã inteira pró Tribunal, numa sala de espera onde o fumo é livre mas o ar não.

A manhã de hoje fazia-nos falta, porque amanhã à noite e no fim-de-semana vamos participar, como empresa, na nossa primeira feira, a Expo Evasão & 4×4, em Oeiras. Vamos lá estar com um pequeno espaço, a mostrar os nossos produtos (o de sempre e mais duas novidades muito muito fixes – na nossa opinião, claro 😛 ). Estamos um bocado stressados porque tudo foi muito em cima da hora. Só soubémos desta feira na semana passada, os novos produtos encomendados chegaram hoje (estávamos com medo que não chegassem sequer a tempo), tivémos que andar a inventar o nosso “stand” (que não o é, e sim algo muito mais pequeno e simples, e totalmente DIY), os materiais promocionais, vamos ter que montar/afinar os “veículos”, transportar tudo pra lá, etc, etc.

Estou com medo que corra tudo mal. Que não haja público e/ou que o que haja não se interesse pelo que temos para oferecer, ou que haja muito público e/ou que o interesse e as solicitações sejam demais para o que nós conseguimos gerir (preferia esta 😉 ). Que a minha timidez e o nervosismo me toldem o discurso e a “articulação”, que me façam perguntas às quais eu possa não ter resposta preparada. Tenho medo de me sentir deslocada, tipo “the new guy”, no meio dos outros expositores. Medo de aquilo ser mal organizado, ou de ser bem organizado e ter nível e nós parecermos tipo “o parente pobre que veio para o jantar”. 😛

Tenho medo de tanta coisa. No fundo passo a vida com medo de alguma coisa. Felizmente isso ainda não me impediu de andar prá frente (melhor ou pior), só faz de mim uma pessoa extremamente cautelosa. Mas gostava de poder sentir-me mais “care free” de vez em quando. Sabem aquelas pessoas que passam pelas situações mais complicadas ou com mais “suspense” com um sorriso na cara e uma descontracção incompreensível, como se não soubessem o que está em jogo? Muitas vezes parece-me simples inconsciência ou irresponsabilidade, mas noutras vezes invejo-as. Se preocuparmo-nos com algo não ajuda a que o seu desfecho nos seja mais favorável, mais vale relaxarmos, o stress só vai agir mesmo nas nossas células, queimando-as sem dó nem piedade…

Ai que STREEEEEEEESS!! 😛 (I can feel the cells going *POP!*)

Esta entrada foi publicada em Sem categoria com as tags , . ligação permanente.

1 Response to Be afraid, be very afraid.

  1. spca diz:
    Mozilla Firefox 2.0.0.2 Windows 2000

    Essa das pessoas que enfrentam as coisas muito descontraidamente tem, a meu ver, muito que se lhe diga… Não digo que não possa haver uma ou outra que o faça, mas acho que em muitos casos essa aparente descontracção é puro fingimento (não que isso seja mau, é uma defesa). Só tu sabes o que sentes, e não me admiraria nada que outras pessoas olhassem para ti, que te sentes tão insegura, como um exemplo a seguir.

    Espero que a coisa tenha corrido bem. E boa sorte para os dias que se seguem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.