«Há Festa na Horta!»

Via Lanka (obrigada pela dica! 😉 ):

“Há Festa na Horta!” – Dia comunitário na Horta popular da Graça, Domingo 11 de Maio

No próximo Domingo, dia 11 de Maio, no auge da Primavera, vamos convidar os vizinhos dos bairros da Graça, Mouraria e Alfama, os amigos e todos os simpatizantes de hortas urbanas e da ruralidade citadina para participar num dia comunitário na Horta popular da Graça.

Enquadramento:

Mais que nunca as cidades têm que reencontrar o seu equilíbrio e voltar a abraçar a natureza da qual se afastaram nos últimos 50 anos. Os habitantes das cidades nunca foram tão dependentes dos serviços de terceiros para satisfazer as suas necessidades básicas, serviços esses que se estão a tornar cada vez mais proibitivos. 2008 é o ano em que o aumento gradual dos preços das comodidades se vai sentir de maneira dramática, com os cereais a aumentar mais de 50% enquanto o acesso a legumes frescos de qualidade se limita a uma faixa cada vez mais pequena da população.

À falta de autonomia dos munícipes e o seu afastamento da produção da terra, se juntam a perda de espaços comuns e sobretudo de espaços verdes para conviver, para gozar os tempos livres e para fomentar um sentimento de segurança e de pertença.

O conceito da horta urbana insere-se firmemente numa estratégia de recuperação da sustentabilidade urbana, ligando factores sociais, culturais e ambientais. Contribui para a conservação de espaços verdes naturais, um planeamento urbano mais humano, a segurança alimentar, a estabilidade socioeconómica, e ainda para proporcionar lazer ou mesmo terapia.

Horta popular da Graça-Mouraria:

A Horta popular, na intersecção da Rua Damasceno Monteiro com a Calçada do Monte, nasceu como projecto do GAIA – Grupo de Acção e Intervenção ambiental, no âmbito da campanha “Por uma Agricultura mais sustentável” iniciada em 2007, no momento em que o GAIA começou o projecto “Centro Social”, albergando a sua sede nas instalações cedidas pelo Grupo Desportivo da Mouraria. Os objectivos do projecto da Horta são: Promoção da Agricultura Sustentável, Consciencialização para os Benefícios da Agricultura Sustentável, Atrair os Jovens para a dinâmica entre cidade e campo, Convidar os Mais Jovens para o desenvolvimento de actividades comuns ligadas ao Desenvolvimento Sustentável e Preservação da Natureza, Envolver a Comunidade local na manutenção de uma horta urbana, promovendo a sua autonomia.

Todas as segundas-feiras o Grupo da Horta reúne no local para juntos trabalharem a encosta solarenga, cuja terra sofreu sucessivos despejos de entulho e lixo e está ainda pouco fértil, plantando variedades que vão arranjando e partilhando, semeando novos mini-lotes, soltando a terra e regando-a, com o objectivo de ali recriar um ecossistema equilibrado, aplicando as técnicas ancestrais da agricultura biológica. Sempre que passe um morador curioso, é convidado para espreitar os afazeres e receber uma explicação do projecto, impulsionando a participação activa dos residentes dos bairros adjacentes.

A iniciativa está a começar a ganhar alento e os resultados estão à vista, com uma variedade de talhões semeados ou plantados – diversas couves, alfaces, tomate, milho, favas, cebola, acelga, alho francês, abóbora, morangos, hortelã, poejo,.. -, umas jovens árvores e algumas plantas resgatadas das Hortas de Benfica, um talhão preparado para flores, todos rodeados por plantas e ervas espontâneas essenciais para o controlo natural das pragas.

Neste Domingo queremos celebrar a promessa desta iniciativa, incentivar o arranque de muitas mais e partilhar conhecimentos sobre horticultura social e jardinagem com vizinhos, interessados e outros horticultores. Durante todo o dia operará uma oficina de construção de mobiliário urbano reciclado, aberta a todos. À tarde juntar-nos-emos para umas tertúlias sobre hortas urbanas e ruralidade e teremos a oportunidade de uma visita guiada à Horta, enquanto as crianças são entretidas por dois animadores e um artista plástico, tudo isto ao som de música acústica e ao sabor de petiscos com ingredientes da própria Horta. Ao fim do dia a festa continua no Centro Social na Travessa de Nazaré.

Propósitos do dia comunitário:

– Promover o conceito das hortas urbanas.

– Promover em particular a horta urbana da Graça para que ela ganhe massa crítica.

– Fomentar a troca de conhecimentos com vizinhos, interessados e outros horticultores.

– Ajudar a garantir o continuado uso público para fins verdes do terreno em questão.

– Proporcionar um verdadeiro convívio comunitário.

– Servir de exemplo para outras iniciativas semelhantes.

Programa do dia – Concertos e consertos, conversas e passeios na Horta:

9.00 – 19.30:

Oficina de construção de mobiliário urbano reciclado

14.30 – 19.30:

Tertúlias com Arq. Gonçalo Ribeiro Telles, Ângelo Rocha, Fernando Pires e o GAIA

Visitas guiadas à Horta

Bancas informativas do Banco Comum de Conhecimentos e do GAIA-CSM

Espaço para crianças, Pintura livre, Música acústica ao vivo, Petiscos vegetarianos

A partir das 20.00:

Jantar popular e festa no Centro Social da Mouraria

[Programa completo]
[Mapa de localização]

Gostava de espreitar, mas vou estar a trabalhar. 🙁

Fiquei contente por saber disto (é do género de tópico que me interessa) e muito contente por saber que há cá quem queira Retomar a Rua também! 😀

Fiquei mesmo revoltada pela cena da CRIL e de arrasarem as hortas. Recebi o mail da Lanka na noite anterior ao dia marcado dos bulldozers (era de manhã), pelo que já ia tarde para ajudar a divulgar e a pedir voluntários. Lendo posts deste caso é de uma pessoa sentir-se mesmo revoltada com a gente que manda neste país. Até dói pensar em tanta natureza, plantas e bichos, destruídos, principalmente num deserto urbano como é Lisboa… E olhem que eu nem sou pessoa de andar a mexer na terra, a cuidar de plantas (nem de animais), a conhecer-lhes os nomes, as aplicações,… (nisso não saí nada à minha mãe e à mãe dela, minha avó…). É um amor platónico. Mas sei reconhecer o valor (e é tanto e tão diverso!) da natureza, do “verde”, e sinto a sua falta quando não a vejo ao meu redor…

Bom, vivam as hortas urbanas! 🙂

Esta entrada foi publicada em ambiente, empreendedorismo com as tags , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.