And now, for something completely different…

Vamos falar de sexo. Yah, isso. E questões de género associadas. Um dos meus temas (se não ‘o’ tema) preferido de sempre, embora nos últimos tempos tenha andado mais entretida com questões de mobilidade. 😉

Bem dizia Baz Lurham “Do NOT read beauty magazines, they will only make you feel ugly.

Quando era adolescente, desde os 10 aos 18 anos, era muito “self-conscious”. Bom, muitíssimo mais do que sou hoje, quero dizer. Preocupava-me muito com o facto de, aparentemente, cair sempre mais prós extremos da curva de Gauss sempre que me comparava com os outros. Quando nesse grupo de outros há muitas imagens de mulheres cujas imagens são pré-processadas (maquilhagem, cirurgias, fotografia e iluminação profissionais, Photoshop, etc), é difícil não nos sentirmos on the bad slope of Gauss’ curve

Que os media nos enganam já nós estamos fartos de saber. As representações das mulheres (mas também dos homens) são cada vez mais irreais. Isso há-de ter consequências na psique colectiva, e individual.

O que me leva a falar disto agora é que fiquei há dias a saber que não são só as pernas, as mamas, as barrigas, os rostos das mulheres que estão a ser alterados digitalmente e vendidos sob o pretexto de as pessoas procurarem imagens “aspiracionais” e não “reais”, também os genitais são assim processados para aparecerem em revistas eróticas…

Atenção, ver estes vídeos e links no trabalho, em público, ou perto de crianças pode suscitar situações constrangedoras. ;-P

Se querem saber o que é “normal”, ver corpos e genitais de mulheres normais, visitem este site. E certifiquem-se de que as vossas filhas adolescentes (e até as vossas mulheres!) têm acesso a um recurso deste género. É difícil cuidarmos do nosso corpo e desfrutarmos dele se não o conhecermos, e aceitarmos. 😉

Esta entrada foi publicada em mulheres, sociedade, videos com as tags , , , , , , . ligação permanente.

2 Responses to And now, for something completely different…

  1. nuno diz:
    Internet Explorer 7.0 Windows Vista

    Agora é só espalhar pelo mundo, embora me pareça que seja mesmo melhor fazê-lo pelos mais novos pois os mais “velhos” já lá não vão. São enganados, sabem-no e não querem saber.
    O grave é que toda a gente buscará um(a) parceiro(a) dentro dos ideais de beleza de hoje em dia e quando abrirem a caixa de Pandora, ai, ai.
    Parabéns pelo óptimo tópico.

  2. Mozilla Firefox 3.5.9 Ubuntu Linux

    Obrigada, Nuno.

    Fantasiar é saudável. Aspirar à perfeição e à beleza é natural. Apenas não devemos deixar que isso molde as nossas expectativas relativamente a nós próprios e aos outros. 😉 Uma coisa é conhecer a realidade e aspirar a mais ou melhor, outra coisa é achar que a realidade deve ser aquilo a que fomos levados a aspirar a.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.