Parque (automóvel) das Nações

Nos próximos dias 7 e 8 de Novembro, os arquitectos vão discutir o Parque das Nações “Cidade imaginada / Cidade concretizada”. Eu acrescentaria “Cidade assassinada”. À medida que vão lentamente abrindo o Parque das Nações ao trânsito automóvel vão matando o que aquilo tinha de bom. Engarrafamentos, ruído, fumo de escapes, carros estacionados na estrada e onde mais conseguirem, lá se foi o silêncio, a segurança, o ar “limpo”, o espaço, os horizontes, a cidade das pessoas, de todas as pessoas e não só daquelas que têm carro e o usam de uma forma abusiva e desrespeitadora dos Outros.

Os portugueses até podem ser bons a criar grandes coisas. Mas acabam por lixar tudo mais cedo ou mais tarde, por via da negligência ou da preguiça activa…

Esta entrada foi publicada em eventos, mobilidade com as tags , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.