Peso da mobilidade no orçamento familiar: o caso americano

Visto aqui, há um estudo que revela que cerca de 20 % dos gastos domésticos de um lar americano médio são em transportes. Isto em 2001, o aumento do preço do petróleo já terá aumentado este valor…

bar-graph-us-household-spending-741163.gif

Só a habitação sorve mais dinheiro.

Dependendo do rendimento familiar, os gastos com transporte podem sorver 13 % a 40 % do orçamento familiar. Quanto mais pobres maior o peso do transporte.

bls-consumer-spending-graph-798046.gif

O estudo revela ainda que:

36 % das maiores estradas urbanas americanas estão congestionadas,

88 % de todas as milhas-pessoa de viagem vêm de veículos motorizados privados (só 8 % vem de viagens de avião e 1 % de transportes públicos colectivos),

as viagens em veículos nas estradas americanas cresceram 161 % entre 1970 e 2003 (a população cresceu 43 % e a kilometragem de novas estradas 6%),

estradas em mau estado custam aos automobilistas $54 biliões/ano em reparações extra de veículos e custos de operação – $275/automobilista,

os engarrafamentos custam aos automobilistas mais de $63 biliões/ano em tempo perdido e custos de combustível,

os americanos perdem mais de 3.5 biliões de horas / ano presos no trânsito,

os acidentes de viação com automóveis custam aos cidadãos $230 biliões/ano em despesas médicas, produtividade perdida, atrasos em viagens, custos no emprego, seguros e custas legais – $819/cidadão.

Brutal, não é? Uma pessoa pobre que ande de carro para ir trabalhar, no fundo trabalha para ir trabalhar…

Esta entrada foi publicada em mobilidade com as tags . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.