As mulheres grávidas não são donas de si próprias?

Tropecei nuns comentários e “bati os olhos” num parágrafozinho por um tal de Rui Barbosa, que passo a citar:

A Patrícia diz: “o corpo é da mulher, a mulher é que está a sofrer MAIS NINGUÉM TEM NADA A VER COM ISSO, ELA É QUEM MANDA EM SI!“. Eu digo: O corpo é da mulher mas o ser que está lá dentro não é propriedade dela!

Esta frase: “O corpo é da mulher mas o ser que está lá dentro não é propriedade dela!” Querem coisa mais humilhante, inferiorizante, ofensiva, brutal, que isto? A mulher não tem direito de propriedade sobre o seu próprio corpo. Sim, enquanto gera uma nova pessoa, até esta estar pronta pra nascer faz parte do corpo da mulher. Vai para onde a mulher vai, “come” o que a mulher come, fuma o que a mulher fuma, tem as doenças que a mulher tiver e o estado emocional desta repercute-se no feto. Para todos os efeitos é uma mulher grávida que ali está, não uma mulher mais outra-pessoa-cujo-nome-ainda-não-se-sabe-ou-não-se-registou. Se o feto está DENTRO da mulher como pode este tipo dizer que não é “propriedade” dela? Quiçá paga-lhe renda, aluguer, prestação do crédito à habitação?! Não é propriedade dela para parar o seu desenvolvimento até se formar um novo ser, mas é para ter todos os comportamentos e mais algum lesivos desse novo ser em formação (álcool, drogas, tabaco, má alimentação, medicação contraindicada,…). Isto ninguém pensa em criminalizar. Ora se um aborto de uma gravidez incipiente é tido como um homicídio, um assassinato de um ser humano, de uma pessoa, então estes comportamentos durante a gravidez não deveriam ser considerados como maus tratos e negligência?… É melhor começarem a instaurar inspectores da barriga das mulheres. E da vagina, trompas, ovários, etc. Just in case.

Esta entrada foi publicada em Sem categoria com as tags , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.