O 3º Festival Bike Portugal 2006…

Foi uma grande decepção (ver info aqui). Não fomos às outras edições, mas mesmo assim esperávamos algo melhor, bolas…

Começou logo pelo facto de a saída para o CNEMA indicada na estrada ir dar a uma estrada cortada!(?!). Voltámos para trás e lá descobrimos aquilo. As bilheteiras eram num sítio completamente oposto ao indicado por uma enorme “tabuleta” à entrada…

Contrataram umas gajas para estar à entrada, parece que apenas para ajudar as pessoas a passarem nas “cancelas”. Mas quando perguntei a uma onde era o “workshop de mecânica básica de bicicletas” ela não sabia do que eu estava a falar e muito menos me soube indicar onde iria decorrer (eram 19h30 e o workshop deveria começar às 20h) (?!).

Local dos workshops

Entretanto fomos ver se encontrávamos info no placard com o mapa da exposição. Os workshops eram num canto de um dos dois pavilhões da feira. Lá fomos, ainda estava a docorrer o workshop de GPS. Démos umas voltas e voltámos lá uma data de vezes depois das 20h. Mas o homem do GPS não se calava… e não víamos ali mais ninguém, nem havia referência ao workshop nos papéis afixados na parede (que anunciavam 3 workshops).

Entretanto encontrámos o Ricardo Figueiredo (e a Catarina Canha) e ficámos a saber que ele também não sabia o que fazer porque o workshop era suposto ser ali e começar às 20h. Mas o da ciclonatur nunca mais acabava nem havia ali ninguém da organização a impôr… organização. Enfim, lá começou o workshop às 21h40 (só 1h40 de atraso). Foi interessante, aprendi cenas fixes. 🙂

Workshop de A tirar notas do workshop

O chão dos pavilhões estava cheio de fios sobressaídos por baixo da alcatifa e fartei-me de tropeçar. 🙁 De vez em quando havia também umas partes que pareciam buracos. Muito lame.

As casas de banho estão a precisar de uma renovaçãozita…

A organização foi uma lástima. Pessoas a vir de longe de propósito para o tal workshop e ninguém está a tomar conta das coisas?! A escolha do sítio para o workshop também não abona muito, o Ricardo teve que estar a gritar durante uns 75 minutos porque aquilo não era numa sala separada, era num canto do pavilhão, com música de fundo num volume elevado, e o microfone que havia não era adequado ao que ele ia fazer… E claro que às vezes não ouvíamos tudo o que ele dizia.

A feira viu-se em menos de 1h… Era um bocado (grande) fraca…

A falta de gente pode ser por ser o primeiro dia, talvez hoje e amanhã tenha maior afluência, mas havia pouca coisa para ver. Nomeadamente o que mais confusão me fez foi ver que lojas e/ou empresas que também vendem bicicletas mais commuter oriented como a Sirla, não tinham essas expostas… Passámos pelo stand da FPCUB mas não estava lá ninguém. Queríamos aproveitar para fazer umas perguntas, terá que ficar para outra oportunidade. (Finalmente) mandei as nossas inscrições há duas semanas, com o folheto que trouxe da Lisboa Bike Tour. Isto é triste, mas esperei tanto tempo pelo simples facto de que não podia pagar a inscrição por transferência bancária por ter a conta a zeros porque “limpei-a” toda quando criei a empresa. 😛 Uma empresária pobre, lol. No stand de uma empresa estávamos a ver com atenção umas bicicletas, e a dada altura uma rapariga que lá estava deu-nos uma caneta e disse-nos para irmos ao site (indicado na caneta) para se quiséssemos ver mais informações acerca dos produtos deles. WTF? Então deixem ver se eu percebo. Contratam um hospedeira, uma gaja linda, com ar de modelo, sorridente, e põem-na lá. E para quê, para ela nos dar o nome do site onde podemos ver mais info?! Que tal porem lá alguém que soubesse o que está a vender? Que mania dos enfeites (como a miúda da entrada!). Tsc tsc…

Não sei se o passeio nocturno previsto foi realizado porque estava a chover. Que raio de ideia, organizar isto em Novembro! Quando pensei nisso, talvez seja porque se fizessem isto antes não conseguiam chamar cá ninguém porque até Setembro é a época das feiras desta indústria e ninguém vinha para Portugal, vão prás IFMAs, Eurobikes, Interbikes, etc.

Para quando uma feira a sério disto em PT? Bem organizada e num sítio como deve ser, como a FIL, e com bom tempo. E com dimensão e scope. Eu ofereço-me para organizar! 🙂

Agora que vi a coisa, não sei como é possível escreverem coisas assim:

«Segundo Gonçalo Amorim, o festival tem tido uma “ascensão excepcional”, dado que se realiza apenas há três anos. Nesta edição, participam 80 expositores, muitos deles internacionais. A aposta é, dentro de um a dois anos, transformar o Bike Portugal numa das maiores iniciativas do género da Europa.»

80 expositores? Maiores iniciativas do género na Europa? Um a dois anos? lololol

Esta entrada foi publicada em Sem categoria com as tags , . ligação permanente.

2 Responses to O 3º Festival Bike Portugal 2006…

  1. Vera Cardoso diz:
    Internet Explorer 6.0 Windows XP

    E quanto as demonstracoes de Spinning? Nao gostaste de ver? Eu estive presente e adorei !!

  2. Mozilla Firefox 1.5.0.7 Windows XP

    Não acho piada assistir a outras pessoas a fazer spinning. Talvez fazer tenha a sua piada, porque é um exercício físico intenso e isso faz-nos sempre sentir bem. Mas eu não curto bicicletas estáticas e exercício dentro de quatro paredes quando posso andar a pedalar ao ar livre. 😉

    De qualquer modo, não houve spinning no dia em que fui, 3 de Novembro, 6ªf…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.